Porque sabes que eu estou aqui. Porque eu sei que me sabes ler no silêncio.
Domingo, 29 de Maio de 2005
...

Não gosto de gente homofóbica.
Irrita-me a presunção
De quem quer impor o que acha certo ou errado
A um corpo que não o seu.
De quem pensa que honestidade,
Ética e verticalidade
Está na sexualidade
E define como pessoa.
Não é gente séria
Quem o outro condena só porque ama
De uma forma que acha estranha e diferente.
Quem acha que é doença
Quando o amor é diferença
E não conforme aquilo que pensa.
Em vez de dizerem tanto disparate
E de pregarem uma moralidade
Que me cheira sempre a sacristia
Deviam de boca calada
Dar uma queca bem dada
Porque, disparate tem limite
E amor é liberdade.



publicado por SigurHead às 11:35
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 14 de Maio de 2005
Lua Nova in Lunário
Nému dormia, uma mão metida entre a cara e a almofada, nu, viajando pelo desmesurado espaço dalgum sonho de onde, certamente, Beno fora excluído. E, por instantes, este sentiu ciúmes por não poder estar dentro do sonho de Nému.
Mas com o decorrer dos meses, Beno viria a aprender que é muito difícil dormir com alguém, ser cúmplice desse abandono, dessa ausência a dois, do que fornicar.
E ambos foram aprendendo a dormir um com o outro, e Beno deixara de ter ciúmes dos sonhos de Nému.
«Fornicar - pensava Beno -, fornica-se com quem quer que seja» ou quem seduzimos e desejamos. Mas dormir, dormir é muito mais complicado, leva tempo até se perder o medo de se entregar o corpo, assim...ao outro. E a lassidão dos corpos abandonados aos segredos do sono um do outro...é bela!»
Frequentemente, contudo, a insónia dominava Beno com violência. Permanecia acordado, fumando na semi-obscuridade do quarto, vendo Nému dormir, acariciando-lhe o cabelo. Perguntava-se como é que tudo terminaria, e que razão profunda, enigmática, trouxera Nému à sua vida. E perdia-se em cogitações, até que o cansaço o atordoava e também ele adormecia. Outras vezes, era Nému que não conseguia dormir. Abraçavam-se, as pernas enlaçadas, os sexos juntos, e enquanto um dormitava, o outro mantinha-se vigilante, esperando sabe-se lá que desastres...

al berto


publicado por SigurHead às 11:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Domingo, 8 de Maio de 2005
Intenção ou propósito
De repente, percebo que só pertenço aos sítios onde não estou e que só me entrego a quem não está. Percebo que troquei um futuro mais que perfeito por um presente indicativo mas não percebo quanto de tudo isso foi destino e quanto de tudo foi intenção ou propósito.
 
                                   
 
Esta noite aperta-me e dobra-me. Faz sombras chinesas com o meu corpo.
 


publicado por SigurHead às 11:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Apenas quando o mundo nos...

Anoitece devagar

Mas comigo era diferente....

Tanto para te dizer

...

Não digas a ninguém

Dei-me sempre mais do que...

Luminoso afogado

Roída a dor muda

Antídoto

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

links

Free Website Counter
Indicador de Status