Porque sabes que eu estou aqui. Porque eu sei que me sabes ler no silêncio.
Quarta-feira, 30 de Novembro de 2005
Cidades
Se atenderes o telefone, talvez saibas que é madrugada e que existem cidades e que há beijos a serem dados. Há mãos, nessas cidades, que se tocam. Se atenderes o telefone, talvez saibas que há quem acorde para morrer. Que há ruas onde os corpos se amontoam. Se atenderes, talvez queiras saber porque nunca nos encontrámos. Talvez te lembres de perguntar onde vivo. Se vivo. E eu talvez saiba o teu número de cor. Depois esquecerei tudo, quando nessas cidades a luz se apagar. São altas horas da noite todos dormem excepto eu que penso em ti. O dia nasce, tudo acorda, menos eu que não dormi. As pessoas correm atarefadas e tropeçam nas suas vidas, choram, sofrem e gritam... também eu que penso em ti. Lisboa, Porto, Régua são algumas dessas cidades. Cidades que tanto assistiram entre nós.


publicado por SigurHead às 02:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005
Enquanto sentires medo...
azul.bmp
Enquanto sentires medo da chuva, todos os pingos serão uma ameaça. E eu? Eu estarei só. Eu serei apenas a vontade de te ter, serei apenas uma poça de água no teu Inverno...



publicado por SigurHead às 00:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 19 de Novembro de 2005
Não foi a pensar em ti...
Hoje tive na minha mão, a palma de outra mão, e não pensei em ti. Vi uns olhos inquietos e arrebatadores, como os teus, e não pensei em ti. Ouvi aquela música e não pensei em ti. Senti o mistério, complexo e dissonante que és tu, e não pensei em ti. Falei de tudo e de nada, não notei o passar do tempo, e não foi a pensar em ti....


publicado por SigurHead às 10:41
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sábado, 5 de Novembro de 2005
Reflexos sonantes

Os dias ditosos chegam reflexos sonantes,
melodias que carregam singulares certezas:
pois a música é o resto de tudo e muito do
resto embrenhado de mãos fechadas
e vento corrente - imperceptível...
e o vento, o vento que é gigante
e tanta música.


publicado por SigurHead às 20:49
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Apenas quando o mundo nos...

Anoitece devagar

Mas comigo era diferente....

Tanto para te dizer

...

Não digas a ninguém

Dei-me sempre mais do que...

Luminoso afogado

Roída a dor muda

Antídoto

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

links

Free Website Counter
Indicador de Status