Porque sabes que eu estou aqui. Porque eu sei que me sabes ler no silêncio.
Quarta-feira, 16 de Junho de 2004
Vezes sem conta
Espero curar-me de ti. Deixar de fumar-te, de beber-te, de pensar-te. É possível. Reunir todas as palavras pronunciadas e atirar-lhes fogo e depois aquecer-te com a fogueira do amor queimado e queimar também o silencio porque as melhores palavras de amor estão entre os gestos que não dizem nada. Reunir todo o amor do tempo e oferecer-to para que faças dele o que quiseres: guarda-o, acaricia-o ou atira-o o lixo. Já não serve para nada é certo. Tenho uma noite em mim tão escura que nela me confundo e paro. O teu sorriso sabe-me a Mysteries de Beth Gibbons & Rustin Man ouvido no chão com a sala às escuras. Escrevo na escuridão o teu nome , escrevo que te amo tudo na escuridão para que nada nem ninguém me observe. 2h, 3h, 4h da manhã andando de um lado para o outro. Louco cheio de ti, iluminado, cego repito vezes sem conta o teu nome e estou seguro que vai amanhecer. É principalmente a noite que sinto a tua falta.


publicado por SigurHead às 09:56
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Apenas quando o mundo nos...

Anoitece devagar

Mas comigo era diferente....

Tanto para te dizer

...

Não digas a ninguém

Dei-me sempre mais do que...

Luminoso afogado

Roída a dor muda

Antídoto

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

links

Free Website Counter
Indicador de Status