Porque sabes que eu estou aqui. Porque eu sei que me sabes ler no silêncio.
Quarta-feira, 3 de Maio de 2006
Dei-me sempre mais do que podia
Estou gasto. Dei-me sempre mais do que podia. Não há nada que me possam roubar, sou um homem espoliado de todos os bens, de todas as doenças, de todas as emoções. Sou um corpo pronto para a viagem sem regresso. Sou um corpo que  se evita, um homem cujo nome se perdeu e cuja biografia possível está no pouco que escreveu. Sou um corpo sem nacionalidade, pertenço às profundidades dos oceanos, ao voo da ave migrante. Sou um alfabeto e não sei se terei tempo para me decifrar.
Lá fora anoiteceu.
São raras as claridades que do meu sangue sobem ao rosto. Há um lume invisível no teu olhar, uma visão que o espelho me revela: cintilam cristais enquanto dormes, uma árvore cresce nos pulmões. Assim construo as paisagens, assim te ofereço a morada de sossego e de prazer. Mas tu não vens, porque me és exterior. Posso criar o universo inteiro a partir das minhas células, só não posso criar-te a ti.
A paixão revelou-se-me no instante em que percebi que sabia quase tudo da vida, mas já não foi possível perder-me na tentação do suicídio. Nunca amei e nunca fui amado: ignoro se isto é verdade.
Que horas serão para lá deste século?
Onde estaremos neste momento?
Estarei eu em ti ou serás tu que me devoras e me comoves?
Teu nome, pronuncia teu nome para que seja impossível esquecer-me do meu. Diz-me o teu nome de ontem, quando éramos o reflexo exacto um do outro. Toca-me o rosto com o teu nome, ou pousa-o sobre as mãos; debruça-te para dentro de mim e deixa que o segredo do tempo fulmine os ossos.


publicado por SigurHead às 09:43
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Kristy a 3 de Maio de 2006 às 14:29
Gosto imenso do que escreves..porque reflecte a sinceridade do q sentes. Magnifico. Beijos


De Gold a 3 de Maio de 2006 às 21:34
Vejo q continuas a soletrar o nome...a escondê-lo no meio do texto, expondo-o de tão secreto q deveria ser...


De miosotis a 4 de Maio de 2006 às 01:23
Sigur, perdoa se ñ tenho vindo até teu espaço.

O tempo... e algumas coisas da vida!

Gostaria de ler-te mais animado, meu 'virtual' amigo!
Sofrimento acumulado, impossível de vencer...

bjs afeectuosos


Comentar post

pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Apenas quando o mundo nos...

Anoitece devagar

Mas comigo era diferente....

Tanto para te dizer

...

Não digas a ninguém

Dei-me sempre mais do que...

Luminoso afogado

Roída a dor muda

Antídoto

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

links

Free Website Counter
Indicador de Status