1 comentário:
De Anónimo a 12 de Dezembro de 2005 às 22:41
...o dia nasce...sempre.tudo acorda, até eu, que não dormi.pensando em cidades em nomes em gestos. gestos que ficaram por fazer. palavras que ficaram por dizer...também eu decorei as ruas dessas cidades, também eu as descrevo, hoje, de cor. também eu respiro Lisboa, inalo Porto, Lamego, Régua. talvez eu saiba, igualmente, um qualquer nº, uma qualquer expressão de cor.

Que os dias "te" sejam leves. Mar
</a>
(mailto:martaoliveira.silva@iol.pt)


Comentar post