Porque sabes que eu estou aqui. Porque eu sei que me sabes ler no silêncio.
Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2006
Ha dois anos foi assim

Gostava de te escrever hoje algo diferente de tudo que já te escrevi e falei. Uma mensagem sem rasuras ou uma única gota de tristeza das lágrimas a escrever esta carta. Que ao lê-la o teu coração pulsasse mais rápido, os teus olhos brilhassem mais e os teus lábios pudessem sorrir, comovidos. Uma carta simples, mas espontânea. O meu presente de aniversário para ti é o que tenho de mais precioso, porque é um pouco de mim mesmo onde se encontra tudo que há em mim de mais puro, verdadeiro, sagrado e pessoal acompanhado da vontade de te ver sempre feliz. Se quiseres, podes chamá-la "Amizade" ; ou, mais correctamente ainda, "Amor". Que esta felicidade que te auguro hoje te acompanhe sempre, sempre. Que bom que tu existes. Que bom seres importante para mim. E como é maravilhoso fazer parte do rol daqueles que tu queres bem. Se tu não existisses, na minha vida haveria um vazio enorme em mim, no tempo e no mundo. Quero que saibas que valeu apena conhecer-te, valeu apena deixar o destino fazer-nos encontrar. Gostava que Deus subscrevesse a sorrir, tudo o que acabei de escrever! Existe uma coisa que realmente vale a pena. Um sentimento que conduz as nossas vidas por um caminho tranquilo que antes não imaginava existir. Mostras-te que na inconstância das coisas passageiras existe sempre uma palavra, um gesto que devemos guardar eternamente. Quero aproveitar o teu aniversário para te dizer que todos os momentos que passei ao teu lado ficarão guardados no meu coração. Estou feliz e quero dividir contigo, tornando o teu aniversário ainda mais especial. Adoro-te.Parabéns pelo teu aniversário. Beijos


publicado por SigurHead às 12:23
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Apenas quando o mundo nos...

Anoitece devagar

Mas comigo era diferente....

Tanto para te dizer

...

Não digas a ninguém

Dei-me sempre mais do que...

Luminoso afogado

Roída a dor muda

Antídoto

arquivos

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

links
blogs SAPO
subscrever feeds